Quem Somos


Somos um operador de crédito, integrado num dos mais sólidos grupos empresariais portugueses, com uma equipa fortemente especializada no crédito automóvel.

A Nossa Visão


Servir o mercado do Crédito Automóvel em Portugal, com especial destaque no financiamento de viaturas usadas.

A Nossa Equipa


Somos uma equipa com uma forte experiência no mercado, experimentada no lançamento de novos projectos e constantemente geradora de valor. Estamos altamente orientados para servir os nossos Parceiros e os nossos Clientes.

Crédito

Com os nossos produtos procuramos satisfazer as necessidades dos nossos clientes e parceiros no que respeita ao financiamento automóvel.

Image

Crédito Automóvel


Financiamento de viaturas novas e usadas
Sem entrada inicial
Prazos alargados


Image

Crédito Stock


Linha de crédito para comerciantes
Financiamento do parque automóvel



  

Seguros

Em parceria com várias seguradoras, apresentamos ao mercado várias soluções de protecção ao crédito ou aos bens financiados.

Seguro de Protecção
Simples

Cobertura do capital em dívida em caso de morte ou invalidez absoluta e definitiva

Seguro de Protecção
Completa

Acresce à Protecção Simples a cobertura das prestações em caso de desemprego, incapacidade temporária para o trabalho ou hospitalização

Seguro de Protecção
Completa Mais

Acresce à Protecção Completa a cobertura do capital adicional em caso de morte por acidente

Seguro GAP

Cobertura do capital em dívida em caso de perda total da viatura

Seguro Extensão de Garantia

Cobertura do custo de mão-de-obra e de parte do custo das peças em caso de avarias mecânicas, eléctricas e electrónicas

Covid-19
MORATÓRIA LEGAL

O Decreto-Lei 10-J/2020, de 26 de março (doravante “Decreto-Lei”) criou um regime de moratória legal que concede às entidades dele beneficiárias a possibilidade de acederem, junto da sua instituição bancária a um adiamento, total ou parcial, no pagamento dos seus créditos até 30 de Setembro de 2020.

Perguntas Frequentes sobre a aplicação da Moratória Legal

Quem pode aderir?

Empresas, Empresários em nome individual (ENI), Instituições particulares de solidariedade social, Associações sem fins lucrativos e demais entidades da economia social, relativamente a contratos de crédito contratados até 26 de Março de 2020 e que preencham os requisitos cumulativos de acesso.

Quais são os requisitos cumulativos de acesso?

O acesso ao regime da moratória legal só é possível quando se encontrarem verificados os seguintes requisitos cumulativos:

  1. Sede e atividade económica em Portugal;
  2. Com referência a 18.03.2020 não estar em mora junto do Banco e no crédito em causa, há mais de 90 dias;
  3. Situação regularizada nas Finanças e Segurança Social;
  4. Não estarem em situação de insolvência, de suspensão ou cessação de pagamentos;
  5. Não estarem a ser executados pelo Banco;

Se aderir à Moratória, quais serão os efeitos no pagamento do meu crédito?

Suspensão, total ou parcial, do reembolso de prestações até 30 de Setembro de 2020.
Suspensão Parcial: Apenas terá de pagar os juros durante o período de moratória. Após o período de moratória regressam os pagamentos de capital e juros.
Suspensão total: Não terá de fazer qualquer pagamento durante o período da moratória. Após o período da moratória regressam os pagamentos de capital e juros, sendo o capital em dívida do contrato acrescido dos juros capitalizados que não foram pagos durante o período de moratória.
Independentemente da opção que faça, o contrato será prolongado por um período igual ao da duração da moratória, assim como todos os elementos associados como garantias e seguros.

Como posso aderir?

Para aderir a esta moratória descarregue e preencha o formulário clicando aqui.

Para preenchimento da declaração de adesão à Moratória Legal (Empresas) clique aqui.

Para preenchimento da declaração de adesão à Moratória Legal (ENI) clique aqui.

Após o preenchimento do formulário e da declaração, os mesmos deverão ser enviados para o email mcovid19@bicredit.pt.

Para esclarecimentos adicionais poderá contactar a nossa linha de apoio – 210 401 097

Juntamente com a declaração devem ser enviados ao Banco comprovativos de situação regularizada nas Finanças e Segurança Social.

A adesão tem algum custo associado?

A adesão ao regime de Moratória Legal de Crédito não tem qualquer custo para o Cliente.

Há algum prazo limite para realizar o pedido de adesão?

Os pedidos de adesão terão de ser submetidos ao Banco, em limite, até ao dia 30 de Junho de 2020.

Como posso saber se o meu pedido foi aceite?

Se o seu pedido for aceite pelo Banco, receberá resposta no prazo máximo de 5 dias úteis. Não se encontrando verificado algum dos requisitos de elegibilidade, o Banco comunicará essa decisão no prazo máximo de 3 dias úteis.
O Banco apenas iniciará a análise ao seu pedido após receber toda a documentação necessária e comunicará consigo pela mesma via pela qual recebeu o pedido de adesão.

Caso o meu pedido seja aceite, os efeitos da moratória são reportados a que data?

Os efeitos da moratória reportam-se à data em que o seu pedido se mostrar devidamente instruído com todos os documentos necessários.

Posso desistir da Moratória?

Pode desistir da moratória e regressar ao pagamento regular do contrato a todo o tempo, devendo usar o mesmo procedimento e contactos que utilizou para a adesão à moratória.

A presente informação não dispensa a consulta do Decreto-Lei n.º 10-J/2020 de 26 de março, o qual pode ser acedido clicando aqui.

Covid-19
MORATÓRIA PRIVADA ASFAC

O Banco Invest (Bicredit) está fortemente comprometido em ajudar os seus clientes a ultrapassar as consequências económicas decorrentes do surto COVID-19. Num quadro de absoluta excecionalidade, o Banco aderiu à “Moratória Privada ASFAC” no segmento de crédito automóvel para auxiliar os seus clientes deste setor que não se enquadrem no âmbito do Decreto-Lei n.º 10-J/2020, de 26 de março de 2020, a reduzirem os seus encargos mensais, facilitando o pagamento dos seus empréstimos.

Perguntas Frequentes sobre a aplicação da Moratória Privada ASFAC

Em que consiste esta moratória?

Esta moratória irá proporcionar aos clientes do Banco que sejam titulares de um crédito automóvel a possibilidade de obterem um período de carência no pagamento das suas prestações desde a data de adesão à moratória até 30 de setembro de 2020.

No caso de carência apenas do pagamento de capital, ou seja, mantendo-se o pagamento de juros, o prazo do contrato será acrescido por um período idêntico ao da suspensão, sendo que as prestações a pagar após esse período serão exatamente do mesmo valor que tinham no momento anterior à mesma.

No caso de carência integral do pagamento das prestações (i.e. carência de pagamento de capital e juros), o prazo do contrato será acrescido por um período idêntico ao da suspensão, sendo que as prestações a pagar após esse período de suspensão terão um valor mais elevado do que o que tinham no momento anterior à mesma.

A opção entre uma ou outra hipótese será dos clientes, que poderão aderir a este regime até ao dia 30 de Junho de 2020.

Caso o cliente faça a opção por alguma das hipóteses acima descritas serão igualmente prolongados todos os elementos associados aos contratos, incluindo as garantias prestadas.

De referir que, em qualquer das situações acima mencionadas o cliente pode, a todo o tempo, solicitar ao Banco o término da aplicação da moratória, regressando o contrato a uma situação de normalidade.

Quem pode aceder a esta moratória?

Todos os clientes Particulares (i.e. pessoas singulares) que se encontrem em situação de falta de liquidez temporária motivada pelo surto pandémico COVID-19, devendo para o efeito observar as seguintes condições:

  • Terem celebrado o contrato em data anterior a 18 de março de 2020;
  • Não terem, à data de 18 de março de 2020, prestações vencidas nesse contrato há mais de 90 dias;
  • Não se encontrem em situação de insolvência, de suspensão ou cessação de pagamentos;
  • Não estarem a ser executados pelo Banco;
  • Solicitarem, por meio de formulário próprio, o pedido de adesão à moratória privada ASFAC. A solicitação deve ser subscrita por um dos titulares do contrato (preferencialmente pelo 1º titular).

Um Particular está em situação de falta de liquidez temporária motivada pelo surto pandémico COVID-19 quando se encontrar em, pelo menos, uma das seguintes situações:

  • Estiver em isolamento profilático ou de doença ou preste assistência a filhos ou netos, conforme estabelecido no Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de Março, na sua redação atual;
  • Tenha sido colocado em redução do período normal de trabalho ou em suspensão do contrato de trabalho, em virtude de crise empresarial, ou em situação de desemprego registado no Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.;
  • For elegível para o apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente, nos termos do artigo 26.º do referido Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de Março;
  • For trabalhador de entidade cujo estabelecimento ou atividade tenha sido objeto de encerramento determinado durante o período de estado de emergência, nos termos do artigo 7.º do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de Março.

A moratória de crédito pode ainda ser requerida por particulares que, embora não se encontrem em situação de falta de liquidez temporária, a sua economia financeira familiar tenha sido significativamente impactada pela pandemia Covid-19, pelo facto de um dos membros do seu agregado familiar direto (cônjuge ou equivalente), se encontrar numa das situações atrás descritas para ser considerado como estando numa situação de falta de liquidez temporária motivada pelo surto pandémico COVID-19 e desde que o particular não tenha, com referência a 18 de Março, prestações vencidas há mais de 90 dias nem se encontre em situação de insolvência, de suspensão ou cessação de pagamentos.

O Banco poderá solicitar os documentos suplementares que considere necessários para comprovar que se encontra em situação de falta de liquidez temporária motivada pelo surto pandémico COVID-19.

Se já tinha aderido à moratória Bicredit tenho que formular novo pedido?

Apenas se pretender que a moratória passe a incidir sobre o capital e os juros. Caso pretenda manter a carência apenas sobre o capital não necessita de formular novo pedido, a reclassificação é automática.

Como posso confirmar se a minha adesão à moratória foi aceite?

Caso se confirmem os pressupostos de acesso, a moratória será aplicada de acordo com as condições selecionadas e produzirá efeitos no prazo máximo de 8 dias úteis após a receção do pedido de adesão. Se porventura não se verificarem os pressupostos de adesão, será disso informado no prazo máximo de 8 dias úteis. As comunicações atrás referidas serão efetuadas pelo mesmo meio de comunicação pelo qual o seu pedido foi recebido.

Como poderei solicitar a adesão à moratória?

Através do preenchimento de um formulário de adesão à moratória. O formulário poderá ser descarregado e acedido diretamente clicando aqui.

Para preenchimento da declaração de adesão à Moratória Privada ASFAC clique aqui.

Após o preenchimento do formulário, o mesmo deverá ser enviado para o email mcovid19@bicredit.pt.

Para esclarecimentos adicionais poderá contactar a nossa linha de apoio – 210 401 097

Caso deseje conhecer o texto integral da Moratória Privada ASFAC clique aqui.

Contacte-nos

Geral

  • Av. Eng. Duarte Pacheco, Torre 1 - 12º Andar
    1070-101 Lisboa
  • (+351) 210 401 000
  • info@bicredit.pt
  • www.bicredit.pt

Serviço de Apoio a Clientes

  • 707 201 584 / (+351) 210 401 092
  • sac@bicredit.pt

Recuperação de crédito

  • (+351) 210 401 050
  • cobrancas@bicredit.pt

Parcerias

  • parcerias@bicredit.pt

Recrutamento

  • Envie o seu CV para recrutamento@bicredit.pt

Deixe a sua mensagem

O seu consentimento pode ser retirado a todo o tempo, através de comunicação escrita para dpo@bancoinvest.pt ou Av. Eng. Duarte Pacheco, Torre 1 - 11.°, 1070-101 Lisboa.
Para mais informações, consulte a Política de Privacidade do Banco Invest, S.A., disponível em www.bancoinvest.pt.